Alguns modernos defensores do aborto, procurando alguma justificação bíblica para sua posição anticristã, citam o texto de Êxodo 21:22-25, o qual na versão Almeida Revista e Atualizada (ARA) é assim apresentado:

Se homens brigarem, e ferirem mulher grávida, e forem causa de que aborte, porém sem maior dano, aquele que feriu será obrigado a indenizar segundo o que lhe exigir o marido da mulher; e pagará como os juízes lhe determinarem. Mas, se houver dano grave, então, darás vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, golpe por golpe.    

Êxodo 21:22-25

O argumento segue da seguinte forma: o texto trata do cenário de uma briga entre dois homens, na qual uma mulher grávida (que talvez tivesse a intenção de interromper a luta) acaba saindo ferida. Se ocorrer um aborto, uma restituição monetária deve ser realizada a fim de compensar a perda do feto. Mas qualquer dano que ocorrer à mulher deve ser provocado também no agressor (lex talionis ou lei de talião). Assim, a perda da vida de uma criança não nascida não se encontra na mesma categoria qualitativa que a vida de uma pessoa adulta, o que demonstra que abortar não é destruir uma vida humana.

Ao contrário da afirmação, o texto realmente comprova o valor e a dignidade da vida ainda não nascida. Primeiramente, a palavra hebraica yatsa, traduzida na ARA como “aborte”, significa, na verdade, “sair” ou “dar à luz”, descrevendo um nascimento natural.

Saiu o primeiro, ruivo, todo revestido de pelo; por isso, lhe chamaram Esaú. Depois, nasceu o irmão; segurava com a mão o calcanhar de Esaú; por isso, lhe chamaram Jacó.    

Gênesis 25:25-26

Ao nascerem, um pôs a mão fora, e a parteira, tomando-a, lhe atou um fio encarnado e disse: Este saiu primeiro. Mas, recolhendo ele a mão, saiu o outro; e ela disse: Como rompeste saída? E lhe chamaram Perez. Depois, lhe saiu o irmão, em cuja mão estava o fio encarnado; e lhe chamaram Zera.    

Gênesis 38:28-30

Por que, pois, me tiraste da madre? Ah! Se eu morresse antes que olhos nenhuns me vissem!    

Jó 10:18

Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações.    

Jeremias 1:5

Por que saí do ventre materno tão-somente para ver trabalho e tristeza e para que se consumam de vergonha os meus dias?    

Jeremias 20:18

O termo nunca é utilizado para descrever um aborto ou a perda de um bebê. Se o texto bíblico quisesse indicar a perda do bebê, deveria ter utilizado a palavra hebraica shakol.

Vinte anos eu estive contigo, as tuas ovelhas e as tuas cabras nunca perderam as crias, e não comi os carneiros de teu rebanho.    

Gênesis 31:38 

Na tua terra, não haverá mulher que aborte, nem estéril; completarei o número dos teus dias.    

Êxodo 23:26

O seu touro gera e não falha, suas novilhas têm a cria e não abortam.    

Jó 21:10

O estudioso do Antigo Testamento Walter C. Kaiser Jr. apontou como um “erro grosseiro”, seja por tradução ou por meio de comentário, argumentar que essa passagem esteja falando sobre um aborto (Toward Old Testament Ethics, 1983, p. 170). Da mesma forma, Jack W. Cottrell, professor de Teologia no Seminário Bíblico de Cincinnati, declarou que “não há absolutamente nenhuma justificativa linguística para traduzir o versículo 22 como se referindo a um aborto espontâneo”. (Christianity Today, 16 de março de 1973, p. 8)

O texto hebraico de Êxodo 21:22-25 também apresenta a palavra yalad, que é sempre utilizada para descrever uma criança com plena forma humana e capaz de sobreviver fora do útero materno.

Isaque cresceu e foi desmamado. Nesse dia em que o menino foi desmamado, deu Abraão um grande banquete.    

Gênesis 21:8

Não podendo, porém, escondê-lo por mais tempo, tomou um cesto de junco, calafetou-o com betume e piche e, pondo nele o menino, largou-o no carriçal à beira do rio.    

Êxodo 2:3 

Noemi tomou o menino, e o pôs no regaço, e entrou a cuidar dele.    

Rute 4:16

Nepel é a palavra hebraica típica para a criança não-nascida (Eclesiastes 6:3-5, Salmos 58:8) e golem significa feto (Salmos 139:16), mas nenhuma dessas duas palavras aparece no texto de Êxodo 21. O texto de Êxodo está tratando então sobre um nascimento prematuro, e não do aborto de um feto.

O Léxico Hebraico de Brown, Driver e Briggs lista Êxodo 21:22 como um exemplo de “nascimento fora de tempo” (The Brown-Driver-Briggs Hebrew and English Lexicon, 1906, p. 423). Podemos ver isso claramente na tradução da Nova Versão Internacional (NVI):

Se homens brigarem e ferirem uma mulher grávida, e ela der à luz prematuramente, não havendo, porém, nenhum dano sério, o ofensor pagará a indenização que o marido daquela mulher exigir, conforme a determinação dos juízes. Mas, se houver danos graves, a pena será vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferida por ferida, contusão por contusão.    

Êxodo 21:22-25

Como uma última questão, o texto está falando sobre a mãe ou o bebê ser injuriado? Uma vez que o pronome feminino está faltando, a ausência de especificidade nos leva a aplicar a situação a ambos os casos. Se algum dano ocorresse à mãe ou ao bebê, a justiça deveria ser aplicada ao agressor de forma proporcional ao grau do dano. Tanto a mãe como o feto tinham igual proteção sob a lei. Por isso, o grande erudito em hebraico e rabino, Umberto Cassuto (1883–1951), traduziu a passagem da seguinte maneira:

“Se homens brigarem, e ferirem não intencionalmente uma mulher com criança, e seus filhos forem dados à luz, porém sem maior dano - isto é, nem a mulher nem as crianças morrerem - aquele que feriu será obrigado a pagar uma indenização. Mas, se houver dano grave, isto é, a mulher ou as crianças morrerem, então darás vida por vida.” (Commentary on the Book of Exodus, 1967).

O texto de Êxodo 21:22-25 realmente implica o valor da vida humana: a vida do agressor deveria ser retirada se a vida da mãe ou da criança sofresse perda. A criança não nascida tem os mesmos direitos que a pessoa adulta (Gênesis 9:6). Outras passagens do Antigo Testamento ensinam que o feto é um ser humano em seu sentido mais completo (Salmos 139:13-16) e o mesmo podemos dizer quanto ao Novo Testamento (Mateus 1:20 Lucas 1:41 Lucas 1:44).

Referências

Dave Miller, Abortion and Exodus 21. Disponível em: <http://apologeticspress.org/apcontent.aspx?category=7&article=1430>.

Norman Geisler e Thomas Howe, Manual de Dificuldades Bíblicas, Mundo Cristão, 2015.

Paul Copan, Deus é um monstro moral? Entendendo Deus no contexto do Antigo Testamento, Sal Cultural, 2016.

Wayne Jackson, Does Exodus 21 Sanction Abortion? Disponível em:  <https://www.christiancourier.com/articles/786-does-exodus-21-sanction-abortion>.

Autor

Fabricio Luís Lovato

Fabricio Luís Lovato

🏠 Santa Maria - RS
Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas e Mestre em Bioquímica Toxicológica pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM - RS). Atualmente cursa o Doutorado na área de Educação em Ciências (UFSM) e estuda Teologia pelo Instituto Bíblico Batista do Sétimo Dia,

Total de Artigos: 22

Fique por dentro das nossas publicações.

Curta nossa página no Facebook

 

Receba as últimas notícias da semana

Assine o informativo gratuito

captcha 

Artigos Relacionados